Pessoal/Motivacional

Paixão ou Amor? Vida de blogueira <3

florees

Se tem uma coisa constante na minha vida é que eu sempre perco o foco. Eu me animo, me empolgo, me envolvo e me apaixono, na verdade esse já é outro ponto sobre mim, eu me encanto facilmente com as coisas, e quando isso acontece eu me jogo de cabeça, como, acordo, e durmo pensando naquilo, pode ser um projeto novo, um trabalho da faculdade, um evento profissional, e até mesmo uma pessoa.

Eu super me empolgo, e acho que vai ser a melhor coisa desde que inventaram o pão de forma ( parafraseando R.E.M.), mas nunca é.

Na verdade, o que venho aprendendo é que não é que as coisas deixam de ser interessantes, e nem mesmo que eu deixe de apaixonar por elas, mas sim o fato de que a paixão precisa ir embora, aquele furor inicial precisa sempre ser substituído por uma coisa mais estável sabe, mais segura, mais duradoura. Ninguém aguenta viver anos naquela necessidade e calor da paixão inicial, da recém descoberta, até porque, quando o tempo passa, a gente começa a ver coisas no outro, que não via antes, e coisas não tão boas, então estar sempre 100% conectado não dá, e nem é necessário. E é aí que vem o amor pelas coisas, ou pelo outro.

amo viajar

Ao contrário do que muitos dizem, eu não acredito que o amor seja cego, ele apenas sabe lidar de forma sábia com os defeitos do outro, reconhece que o bem amado é algo real, e coisas reais não são perfeitas.

Vale salientar que quando falo de amor pelas coisas não estou hiper valorizando bens materiais. Estou falando por exemplo de quando você descobre que ama viajar, que ama fotografar ou produzir vídeos, que ama fazer cursos novos, que ama ser voluntário, que ama o emprego novo, que conheceu um grupo novo de amigos e está fascinado.

viajar

Tudo isso são coisas que nos apaixonam, mas não é que por elas perderem o sex appeal inicial que elas deixaram de te fazer bem e você pode jogar elas de lado, não se faz isso, se foi verdade pra você um dia, você deve continuar valorizando, mas entendendo que acordar cedo pra gravar seu curta metragem não vai parecer a coisa mais linda depois da décima vez, mas que ter um hobby, ter uma paixão na sua vida, se transforma em amor quando você apesar dos pontos negativos simplesmente tem algo que te cola aquilo sabe como é?

E daí você se afasta, e volta, quantas vezes forem necessárias até entender que você não precisa abandonar velhos hábitos, mas encarar de uma maneira diferente. E é nesse piscar de olhos que você se toca: eu não tenho um hobby, eu amo fazer isso, eu faria de graça, e faria pelo resto da minha vida.

Prazer, eu voltei pra blogosfera.

assinatura 27-01-2016

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s